Social Items



A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Polícia Civil de Aragominas concluiu, nesta quinta-feira (12) as investigações referentes à divulgação de fotos e de um vídeo, ambos de conteúdo íntimo/pornográfico, de uma adolescente de 15 anos. Segundo o apurado, a menor teve um relacionamento por cerca de duas semanas com Guilhermy Timoteo de Carvalho, de 22 anos de idade. 
 A ex-companheira do suspeito, Alline Ribeiro Barbosa, de 20 anos, tomou conhecimento das fotos e de posse do celular de Guilhermy, passou a conversar com a adolescente e ameaçou divulgar as fotos e o vídeo. Após esta conversa, as fotos e o vídeo foram divulgados nas redes sociais, causando um enorme constrangimento a vítima e a toda a sua família.Conforme apontaram as investigações da Polícia Civil, durante os encontros, Guilhermy oferecia bebida alcoólica a adolescente, do tipo “Catuaba”, em que após ingeri-la, a adolescente embriagada, tinha relações sexuais com o indivíduo. Ainda, certa vez, após terem relações sexuais, estando à adolescente sob o efeito de álcool, e a pedido do autor, ela tirou algumas fotos e fez um vídeo, ambos de cunho íntimo/pornográfico e os enviou a Guilhermy.
Segundo Alline quem divulgou as fotos fora Guilhermy em grupos de whattsapp, mas reconheceu que postou o vídeo da adolescente no perfil da rede social enquanto conversava com a mesma. Segundo Guilhermy, quem divulgou as fotos foi Alline.
O Delegado responsável pelo caso concluiu o inquérito, sendo Guilhermy indiciado pelos crimes previstos nos Arts. 241-A (divulgar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente), 241-B (armazenar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente) e 243 (oferecer bebida alcoólica a adolescente), todos do Estatuto da Criança e do Adolescente, e o art. 215 (violação sexual mediante fraude) do Código Penal. No total, o homem pode ser condenado a uma pena de 20 anos de prisão.
  Alline foi indiciada pelos crimes previstos nos Arts. 241-A (divulgar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente) e 241-B (armazenar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente). No total, a mulher pode ser condenada a uma pena de 10 anos de prisão. O caso agora fora encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas legais cabíveis.
Folha do Bico

Sexo, traição e nudes, leva casal a ser indiciado pela Polícia no TO



A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Polícia Civil de Aragominas concluiu, nesta quinta-feira (12) as investigações referentes à divulgação de fotos e de um vídeo, ambos de conteúdo íntimo/pornográfico, de uma adolescente de 15 anos. Segundo o apurado, a menor teve um relacionamento por cerca de duas semanas com Guilhermy Timoteo de Carvalho, de 22 anos de idade. 
 A ex-companheira do suspeito, Alline Ribeiro Barbosa, de 20 anos, tomou conhecimento das fotos e de posse do celular de Guilhermy, passou a conversar com a adolescente e ameaçou divulgar as fotos e o vídeo. Após esta conversa, as fotos e o vídeo foram divulgados nas redes sociais, causando um enorme constrangimento a vítima e a toda a sua família.Conforme apontaram as investigações da Polícia Civil, durante os encontros, Guilhermy oferecia bebida alcoólica a adolescente, do tipo “Catuaba”, em que após ingeri-la, a adolescente embriagada, tinha relações sexuais com o indivíduo. Ainda, certa vez, após terem relações sexuais, estando à adolescente sob o efeito de álcool, e a pedido do autor, ela tirou algumas fotos e fez um vídeo, ambos de cunho íntimo/pornográfico e os enviou a Guilhermy.
Segundo Alline quem divulgou as fotos fora Guilhermy em grupos de whattsapp, mas reconheceu que postou o vídeo da adolescente no perfil da rede social enquanto conversava com a mesma. Segundo Guilhermy, quem divulgou as fotos foi Alline.
O Delegado responsável pelo caso concluiu o inquérito, sendo Guilhermy indiciado pelos crimes previstos nos Arts. 241-A (divulgar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente), 241-B (armazenar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente) e 243 (oferecer bebida alcoólica a adolescente), todos do Estatuto da Criança e do Adolescente, e o art. 215 (violação sexual mediante fraude) do Código Penal. No total, o homem pode ser condenado a uma pena de 20 anos de prisão.
  Alline foi indiciada pelos crimes previstos nos Arts. 241-A (divulgar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente) e 241-B (armazenar fotos/vídeo de cunho pornográfico que envolva adolescente). No total, a mulher pode ser condenada a uma pena de 10 anos de prisão. O caso agora fora encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas legais cabíveis.
Folha do Bico

Postagens mais visitadas